skip to Main Content

Smart Solutions for Smart Grids

Nas últimas décadas, houve uma enorme evolução nas tecnologias de transformação da Energia Eólica em Energia Elétrica. Países como Dinamarca, Alemanha, Holanda, Bélgica e Espanha já possuem programas ousados de aproveitamento da energia a partir dos ventos na constituição de suas matrizes energéticas. Na América do Sul, o Brasil, é um dos países com grande potencial de ventos que começa a ser aproveitado.

A Ventos do Sul – uma sociedade entre a brasileira CIP Brasil, a espanhola Enerfin do Brasil (do Grupo Elecnor) e a alemã Wobben Windpower (do Grupo Enercon), construiu três parques eólicos na cidade de Osório, no litoral do estado do Rio Grande do Sul, a cerca de 100 km da Capital, Porto Alegre. Essa foi a primeira vez em que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) financiou um empreendimento de geração alternativa de energia. O fato foi encarado com entusiasmo no setor e pode indicar a possibilidade de novos investimentos. O investimento total deve ficar em R$ 662 milhões e gerar retorno financeiro dentro de 10 ou 12 anos, segundo executivos da empresa.

Os três parques tem capacidade máxima de 150 MW de energia – o suficiente para abastecer um terço da capital, de aproximadamente 1,5 milhão de habitantes. Cada parque eólico possui 25 aerogeradores com potência de 2.000kW.

case_eolica_2

Cada um dos parques eólicos é interligado a uma subestação, de fornecimento da Trafo Equipamentos Elétricos S.A.. Este projeto conta com 4 transformadores trifásicos em paralelo e um transformador reserva, de 50MVA, cada. Os transformadores possuem Monitores de Temperatura, TM1, para monitoração de temperatura de óleo e enrolamento e controle da ventilação forçada. Os transformadores estão interligados em paralelo em filosofia Mestre-Comandado, através do sistema de paralelismo Treetech, baseado nos IEDs Supervisores de Paralelismo Síncrono, SPS. A regulação de tensão destes transformadores é realizada através do Relé Regulador de Tensão, AVR, instalado em cada transformador.

Foi criada uma rede com fibra óptica para aquisição de dados dos equipamentos Treetech, disponibilizando em um Computador na Sala de Controle todas as informações. Por serem equipados com saída de comunicação serial RS485 e protocolo aberto, não houve gastos extras com elementos concentradores para montagem desta rede de comunicação.

Esta subestação está interligada com a rede de transmissão da CEEE, Companhia Estadual de Energia Elétrica. A energia gerada no parque eólico tem compra assegurada por 20 anos, pois este projeto está vinculado a PROINFA, Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia do governo brasileiro.

As três fazendas eólicas estão situadas dentro de uma fazenda de gado, sem prejuízo algum para a fauna e flora locais.

Layout da Rede de Comunicação dos Equipamentos Treetech

case_eolica_3

Escopo de fornecimento a Ventos do Sul, através do fabricante TRAFO:

– Sensores (IEDs) instalados no transformador e na sala de controle:

  • Monitor de Temperatura TM1 (temperaturas do óleo e do enrolamento).
  • Relés Reguladores de Tensão AVR (regulação de tensão, comando do CDC).
  • Supervisor de Paralelismo Síncrono SPS (sistema de paralelismo entre transformadores).
Back To Top